Mercado em alta: a revolução dos antimicrobianos

Mercado em alta: a revolução dos antimicrobianos

A concentração de pessoas nos centros urbanos trouxe preocupações extras com a saúde. Com isso, a indústria tem adotado as tendências do mercado, que prevê grandes mudanças para os próximos anos.

Os aditivos antimicrobianos agem como protetores da superfície – contra bactérias e fungos. Esses microrganismos, prejudiciais para a saúde, despertam a atenção e, com isso, uma demanda por produtos que os combatam. E as aplicações são inúmeras: tecidos, cerâmicos, tintas, plásticos e muitos outros.

No caso dos plásticos, o mercado promete se expandir ainda mais. A versatilidade do material faz dele uma presença quase que impossível no nosso dia a dia e, juntamente com os aditivos antimicrobianos, pode nos ajudar a prevenir doenças e aumentar nosso bem estar.

Por isso, o mercado global de plásticos antimicrobianos tem a previsão de alcançar um valor de 3,6 bilhões de dólares em 2020. E registrar uma taxa de retorno de investimento (CAGR – Compound Annual Growth Rate) de até 10% entre 2015 e 2020.

O relatório  “Antimicrobial Plastic Market by Type and by Application – Global Trends & Forecasts to 2020”, publicado pelo MarketsandMarkets, entidade especializada em pesquisas de mercado, prevê que os segmentos de Embalagem e Higiene serão os maiores consumidores do plástico antimicrobiano. Sendo que, em 2014 somente, representaram a maior parte das transações e, até 2020, poderão dominar o mercado.

Nesse contexto, os centros de tecnologia – Norte-América e Europa – tem apresentado destaque na indústria de antimicrobianos. Porém, a região da Ásia-Pacífico é um mercado chave para os plásticos antimicrobianos. Nela,  está o maior mercado consumidor do produto no mundo, e se estima que o alto consumo se manterá pelos próximos 5 anos. E, com isso, essa região poderá apresentar a maior taxa mundial de crescimento entre 2015 e 2020.

Atualmente, os Estados Unidos lidera o consumo mundial de plásticos com antimicrobianos devido ao seu alto padrão de vida. Porém isso pode mudar com a emersão dos mercados emergentes dos países do BRIC. Estima-se que a China venha a ser o país com o maior consumo desse tipo de plástico, e deverá apresentar, em relação aos demais, o maior crescimento no período de 2015 a 2020.

Grandes players globais têm alterado sua produção e concentrado os centros de distribuição para as regiões da Ásia-Pacífico e da América do Sul, podendo assim atender as demandas locais. Os principais fatores que manterão esse mercado estão relacionados à crescente precaução com tantos casos de contaminações cruzadas a infecções hospitalares e também de epidemias como a gripe aviária, Influenza, H1N1 e a gripe suína, que vêm  sido  muito noticiadas ultimamente. Por isso, o consumidor tem se tornando mais exigente e atento à importância dos agentes antimicrobianos  

Nesse contexto, a TNS Nanotecnologia tem a expertise para aplicação de nano e micropartículas para conferir a propriedade antimicrobiana em plásticos, tecidos e em outros materiais. Para saber mais, entre em contato com um de nossos especialistas pelo e-mail [email protected]!

 

TNS_CTA_eBook13_SaudeAnimal