As tecnologias que alavancaram o Setor Têxtil em 2017

As tecnologias que alavancaram o Setor Têxtil em 2017

A TNS Nanotecnologia é uma empresa 100% brasileira responsável pelo desenvolvimento de aditivos
antimicrobianos para a indústria, e sintetizou este panorama com objetivo de entender ainda mais como
encontra-se o setor neste ano. Este levantamento informacional trouxe alguns dados que, além de muito
interessantes, são importantíssimos para você que lida com o dia-a-dia do segmento, e ficará por dentro agora!

Começaremos com oito mudanças que estão em curso no mundo e impactarão diretamente a área
têxtil, desde a produção de fios e tecidos, passando pelo vestuário até o varejo:

● A estagnação do algodão;
● O crescimento dos filamentos sintéticos;
● Aumento das misturas de fibras têxteis;
● Evolução dos não tecidos;
● Funcionalização no vestuário (tecidos inteligentes);
● Mudança de hábito dos consumidores;
● Transformações no varejo com o comércio eletrônico;
● Expansão dos Tratados de Livre Comércio

E as tecnologias inovadoras que auxiliarão nas mudanças citadas são:

1. Transformação do varejo: funcionalização do RFID – Radio Frequency IDentification
Substituição de códigos de barras: já imaginou pagar as suas compras sem perder tempo na fila do
caixa? Ou poder identificar quantas vezes a peça de roupa escolhida pelo consumidor é devolvida à prateleira e desta forma rastrear a aceitabilidade de um certo produto? É o que oferece a tecnologia RFID uma tecnologia incorporada à etiqueta do vestuário capaz de emitir ondas de radio frequência, o que permite que a etiqueta seja lida sem contato visual e físico. Leia mais!

2. Impressão e acabamentos digitais
A técnica de impressão Active Tunnel Infusion (ATC) é superior a qualquer impressão por sublimação,
pois a tecnologia recria a estrutura da fibra. O princípio da ATI é gerar canais nas fibras pelos quais o corante caminhe e penetre em seu interior, fechando-se no final do processo e retendo o corante. Isso permite o alcance de níveis de tingimento muito superiores ao beneficiamento comum, economizando enormes quantidade de corantes à base de água, permitindo ainda que o tecido seja resistente a água sanitária e não sofra esmaecimento da cor por estiramento do tecido. Além disso, é possível projetar as partes necessárias para receber o tingimento em uma única máquina, acelerando exponencialmente o processo de beneficiamento. Você pode saber mais aqui.

3. Werable Technologies: as tecnologias “vestíveis”.
É a utilização de um conjunto de ciências como tecnologia têxtil, química, física, ciência dos Materiais, ciência e tecnologia da computação para estruturar e criar novos tipos de fibras e ou tecidos com performance superior. O conceito básico de um Smart Textile é sua capacidade de reagir a diferentes estímulos provenientes de seu ambiente. A utilização de corantes com propriedades policromáticas, tecidos com liberação controlada de fármacos ou tecidos capazes de controlar a proliferação bacteriana – controlando o mau odor provocado pelo suor através da ação de nanopartículas de prata, são exemplos de wearable technologies já presentes no mercado. Você pode saber mais com este material.

4. Projeto Mobilizador PT21

O projeto inserido no Pólo de Competitividade da Moda, liderado pela TMG Automotive e sob a coordenação técnica do CITEVE é um programa que engloba sete sub-áreas de Produtos, Processos e Serviços em prol da inovação e colaboração. O programa incentiva o desenvolvimentos de projetos em P&D voltados para têxtil e confecção. Olha só o que eles vêm desenvolvendo: https://www.citeve.pt/artigo/PTXXI


  • Antes de continuar com a leitura, não esqueça que você pode preencher
    o formulário abaixo e ficar por dentro de todas as novidades do blog.


Mas como está o Brasil?

Já adiantamos: o cenário também é bastante promissor, e demonstra uma
indústria sólida e altamente competitiva.

● 2o maior empregador da indústria de transformação, perdendo apenas para alimentos e bebidas
(juntos);

● 32 mil empresas formais em todo o País.

● Quarto maior parque produtivo de confecção do mundo

● Quinto maior produtor têxtil do mundo;

● O Brasil é, ainda, a última Cadeia Têxtil completa do Ocidente. Só nós ainda temos desde a produção
das fibras, como plantação de algodão, até os desfiles de moda, passando por fiações, tecelagens, beneficiadoras, confecções e forte varejo;

● Brasil é referência mundial em design de moda praia, jeanswear e homewear, tendo crescido também os segmentos de fitness e lingerie;

Esperamos que estas informações lhe sejam úteis. Caso queira ficar por dentro das novidades da indústria em geral, fique de olho no Blog da TNS. Quer tomar a dianteira do mercado e adicionar a característica antimicrobiana aos seus produtos? Entre em contato.

yuze, tns, antimicrobiano, tecnologia