Os riscos invisíveis do transporte público

Os riscos invisíveis do transporte público

A associação nacional das empresas de transportes urbanos (NTU), apresentou alguns dados em uma pesquisa realizada em agosto de 2017, muito interessantes e de certa forma preocupantes, tendo em vista o tema que iremos abordar nesse artigo.

  • O ônibus é o transporte público mais utilizado e preferido em 86,3% de todas as pessoas no Brasil que utilizam transporte público;
  • O ônibus transporta 32.742.000 pessoas todos os dias;
  • Cada veículo de ônibus, transporte em média 400 pessoas por dia, com uma frota operante de em torno 96.300 ônibus;

Antes de continuar com a leitura, não esqueça que você pode preencher
o formulário abaixo e ficar por dentro de todas as novidades do blog.


Por onde as bactérias andam

A problemática aqui em questão não é a qualidade do transporte público no Brasil ou o tamanho da frota de ônibus em cada região, mas sim certas condições que passam batidas pelos nossos olhos no dia a dia e têm um grande impacto na nossa saúde.

As pessoas vivem rodeados por um mundo microbiológico, cercados por bactérias e parasitas, que podem ou não serem patogênicos. Estão sempre sujeitos a infecções, que podem ser contraídas através de inúmeros mecanismos, como ingestão de água ou alimentos contaminados e contato direto ou indireto com superfícies ou objetos contaminados. Agora, tendo essa consciência e sabendo através de dados estatísticos. que a frota de ônibus no Brasil é um dos meios de transporte público mais utilizados e preferidos pela população em geral, uma coisa é certa: o transporte público, nesse caso o ônibus, é um meio extremamente propício a disseminação e contaminação de doenças.

Estes patógenos microbiológicos podem ser disseminados para diversos tipos de superfícies através do contato. No transporte público, a contaminação ocorre através do contato dos passageiros com as superfícies contaminadas dos ônibus, como por exemplo: banco, pegador de segurança e barra de apoio, ocorrendo a disseminação destes microrganismos pelos seus usuários.

Algumas dessas bactérias podem formar biofilmes, aderindo-se às superfícies de forma a produzir resistência a fatores externos, como o uso de sanificantes químicos e de forma que estas superfícies formam importante e perigoso reservatório de patógenos, que são adquiridos de diversas formas pelos usuários dos ônibus de transporte público. O tipo de material da superfície e a sua manutenção também tem efeito sobre a colonização por esses microrganismos, se há deficiência na limpeza das mesmas a contaminação permanece, atuando assim como via de transmissão de microrganismos.

tabela, infecção, transporte público

Em um estudo denominado como “Potencial infeccioso do transporte público de passageiros da cidade de São Paulo” escrito pelos pesquisadores, Rodrigo Góes Medéa de Mendonça e Guilherme Sciascia do Olival, alguns dados bem interessantes foram apresentados, na tabela abaixo, a respeito de quais tipos de microrganismos foram encontrados nos ônibus da frota paulistana e que em suas conclusões o transporte público da cidade de São Paulo possui um potencial infecciosos através de agentes potencialmente patogênicos.

Tendo em vista todos esses aspectos e sabendo que os microrganismos podem sobreviver e se multiplicar em diversos ambientes, certos cuidados devem ser tomados e novas medidas de segurança microbiológica devem começar a ser levados em consideração.

Uma forma inovadora e eficiente para o combate contra esses microrganismos é a utilização de agentes antimicrobianos nos materiais e objetos mais contaminados e passíveis de contaminação dentro no ônibus.

 

Combatendo o problema de forma inovadora e segura

Muitos dos materiais e objetos encontrados nos ônibus, que são passíveis de contaminação, como: bancos, corrimões, pegadores de segurança e filtros de ar-condicionado, são totalmente susceptíveis de implementação dos aditivos antimicrobianos, que garantem a segurança contra o desenvolvimento e proliferação de microrganismos patógenos.

A TNS desenvolve e comercializa aditivos químicos antimicrobianos, com ações antibacteriana, antifúngicas e que podem ser aplicados diretamente na cadeia produtiva de diversos materiais e produtos. A dosagem dos nossos aditivos utilizados nos processos é baixa, sendo assim não altera as características do produto aditivado. Além de, claramente, conferir a propriedade de eliminar os microrganismos presentes e que eventualmente venham a entrar em contato com os objetos aditivados, com eficácia comprovada por normas nacionais e internacionais.

Seja um promotor da inovação  que preza pelo bem-estar e saúde de seus clientes. Ficou interessado? Entre em contato com um de nossos consultores técnicos prontamente capacitados para atender o seu negócio.

Ebook Laminados Sintéticos - Utilidade, Tecnologia e Segurança (Caimi&Liaison)