Nanotecnologia na agricultura: a oportunidade de produzir mais com menos

Nanotecnologia na agricultura: a oportunidade de produzir mais com menos

Soluções para um mundo faminto

Embora a inovação, conforto e tecnologia sejam presentes na vida cotidiana do século XXI, vivemos também um expressivo crescimento populacional e aumento na concentração demográfica em centros urbanos. Esses cenários resultam em uma previsível escassez de alimentos devido à produção agrícola limitada e a desperdícios no mundo todo. O desafio de alimentar toda a população com eficiência e qualidade pode ser enfrentado com o uso de produtos mais potentes e menos agressivos ao meio ambiente em campos de produção agrícola.

O agribusiness é o maior negócio da economia brasileira e mundial. Segundo o relatório anual Perspectivas Agrícolas 2010-2019 (publicado pela FAO e pela OCDE), o Brasil terá a maior produção agrícola do mundo na próxima década e será o principal fornecedor mundial de produtos agropecuários. Nos próximos anos, os desafios da agricultura estão relacionados com a necessidade de novas tecnologias que deverão ter mais produtividade por área utilizando menos mão de obra. Como exemplo, observa-se que a produção de milho do Brasil cresceu 73% enquanto o mundo cresceu 17% em produtividade (Dados de 2010 da ANDA, Associação Nacional para Difusão de Adubos). O crescimento do PIB do agronegócio brasileiro é visível desde 1994 e em 2010 representou 22,4% do PIB nacional.


A nanotecnologia vem se mostrando como uma solução para esses desafios, trazendo inovação aos agro-produtos e ajudando o mundo a crescer com sustentabilidade. O uso de químicos baseados em nanotecnologia é tendência há alguns anos. O alto investimento de empresas, governos e pesquisadores tem feito com que o Brasil ganhe cada vez mais espaço não somente na produção de alimentos, mas também no desenvolvimento de tecnologias para as áreas de maior necessidade criadas com o boom do século XXI.

Inovação em fertilizantes e bioestimulantes

Nos cultivos agrícolas, onde se produz alimentos básicos como grãos para humanos e animais, a necessidade de inovação é evidenciada pelo surgimento de microrganismos super-resistentes nos campos e pelo impacto ambiental do uso desenfreado de químicos fitossanitários, destacando-se os fungicidas. A nanotecnologia aplicada à agricultura pode oferecer diversos efeitos benéficos, que até então eram observados apenas pela comunidade científica e publicados em literatura internacional e agora começam a mostrar resultados no campo.

A aplicação foliar de bioestimulantes nanoparticulados produz efeitos como: indução de resistência a doenças diversas, aumento do crescimento das raízes, melhora do estresse a fatores bióticos e abióticos, redução da abscisão foliar, dentre outros benefícios específicos para diferentes culturas.

TNS + agricultura = produtividade

Recentemente, realizou-se experimentos a campo usando nanopartículas desenvolvidas pela TNS para agroprodutos. Os resultados foram expressivos e visivelmente atraentes para atender ao aumento da demanda mundial por alimentos. O uso de nanopartículas TNS em fertilizantes foliares em campo apresentou um ganho de produtividade acima de 30% por hectare. Já no combate à ferrugem, doença comum causada por fungos, a incidência caiu em torno de 15%.

A TNS Nanotecnologia pode colaborar com a escassez de alimentos em grandes centros urbanos a partir da produção desses aditivos que permitem alta performance a campo. Venha conversar conosco e descubra mais sobre essa aplicação inovadora!

Artigo redigido por Geórgia Aimée Bruel Müller e revisado por Gabriel NunesJoão Carlos Carrion

Ebook Tecnologia no agronegócio - A importância de impedir a proliferação de bactérias