Os avanços da nanotecnologia no Brasil

Os avanços da nanotecnologia no Brasil

Provavelmente você já ouviu falar bastante sobre a nanotecnologia, mesmo que ainda não saiba exatamente o que ela é ou quais as vantagens desta modernidade. Digo modernidade não porque foi algo inventado recentemente, mas porque foi “descoberta” e caracterizada há poucas décadas.

Dita como a quarta revolução industrial, muito se tem investido na nanotecnologia, sendo que a cada ano ela representa uma fatia maior na balança comercial de diversos países. Mas e o Brasil? Estamos acompanhando essa revolução ou apenas sendo expectadores?

Vamos começar apresentando dados mundiais

O mercado total de produtos que incorporam nanotecnologias foi de US$ 135 bilhões em 2007 e cresceu rapidamente, com expectativa de atingir valores próximos a US$ 3,3 trilhões em 2018.

Dentre os vários setores “nano”, o setor químico é o que ocupa hoje a maior parcela desse mercado, seguido pelos semicondutores. Setores como o farmacêutico, automotivo, defesa e antimicrobianos representam menores parcelas do mercado global de nanotecnologia.

E no Brasil?

Para o ano de 2018, o Brasil planeja alcançar 1% do mercado mundial, que significa a cifra de US$ 33 bilhões. Este resultado esperado é muito maior que os US$ 25 milhões alcançado em 2010.

Esse percentual parece pequeno, mas devido ao fato de que iniciamos tarde o nosso investimento no setor, estamos fazendo um forte trabalho, com cada vez mais empresas olhando para a nanotecnologia e alocando recurso de P&D nesta área.

As pesquisas que estão sendo desenvolvidas no país indicam que as oportunidades de negócio em nanotecnologia surgem primeiramente nos mercados de cosméticos, produtos provenientes da indústria química (catalisadores, tintas, revestimentos) e petroquímica, plásticos, borrachas e ligas metálicas, conforme as conclusões de estudo do Ministério da Ciência e Tecnologia. A funcionalidade antimicrobiana está inserida em muitas dessas áreas, representando um diferencial para tintas, revestimentos, plásticos e borrachas, entre outros.

Desde o ano de 2000, o governo brasileiro vem empreendendo esforços para a definição de um programa para o desenvolvimento e disseminação das nanociências e nanotecnologia. O governo brasileiro entre 2000 e 2007 investiu por meio de suas universidades e centros de pesquisa R$ 160 milhões na pesquisa da nanotecnologia. Somando os investimentos do setor privado, estima-se um total de R$ 320 milhões no período.

O que difere os produtos nano dos demais é que eles permitem potencializar propriedades físicas e químicas em concentrações extremamente reduzidas, conferindo características novas para um dado produto, que no passado não eram possíveis. Este alcance de propriedades se deve basicamente ao fato de tais estruturas possuírem dimensões nanométricas,  resultando  em uma área superficial elevada, maior grau de dispersão e funcionalidades que são dependentes do tamanho da estrutura.

Nanotecnologia já é realidade e a TNS está à frente desta evolução, promovendo saúde e bem-estar para a população através de produtos livres de bactérias, fungos e outros microrganismos. Com foco em B2B, oferecemos oportunidade de diferenciação competitiva para indústrias e benefícios para seus clientes. Deseja conhecer um pouco mais?

tns_banner_aplicacoes