Como os antimicrobianos valorizam os produtos na indústria calçadista?

Como os antimicrobianos valorizam os produtos na indústria calçadista?

De todos os produtos que empregam a nanotecnologia a nível mundial, cerca de 25% utilizam nanopartículas de prata.

O mercado de nanoprata atingiu em 2014 cerca de U$700,9 milhões e antecipa-se que em 2023 chegará ao valor de U$2.415,5 milhões, no qual os principais players estão inseridos no setor de eletrônicos, seguido pelo de antimicrobianos (via Transparency Market Research). As principais razões para o grande uso das nanopartículas de prata como agente antimicrobiano se devem à excelente capacidade de eliminar mais de 650 tipos de microrganismos causadores de doenças, chamados de patogênicos.

Além da boa competitividade de custo frente aos tradicionais produtos disponíveis no mercado, a elevada área superficial das nanopartículas permite que quantidades muito pequenas do aditivo resultem em potente atividade antimicrobiana. Esta particularidade inerente de aditivos nanotecnológicos possibilita a ampliação do espectro de aplicações onde o controle da proliferação de microrganismos é requerido.

O alcance dos antimicrobianos no mercado calçadista

Os relatórios de avaliação mercadológica publicados nos últimos anos apontam para um significativo aumento no consumo global por plásticos com propriedades antimicrobianas, com destaque no setor calçadista, pois engloba aspectos de higiene e bem-estar de seus consumidores. A aplicação abrange tecidos de recobrimento, material de palmilhas, material de enchimento, dentre outros. Como principais vantagens na aditivação dos materiais, cita-se a eliminação de bactérias que causam o “chulé”, promovendo a sensação de bem-estar ao consumidor final e ainda a prevenção de contaminação por outras bactérias. Já a possibilidade de se utilizar as próprias palmilhas de polímero (EVA, PU) antimicrobianas, elimina o processo de dublagem de palmilhas convencionais na indústria, diminuindo custos e tempo de processo.


  • Antes de continuar com a leitura, não esqueça que você pode preencher
    o formulário abaixo e ficar por dentro de todas as novidades do blog.


A eficiência antimicrobiana em números

Os antimicrobianos TNS tiveram sua eficiência comprovada por grandes e médias indústrias nacionais do setor têxtil através de diversos laboratórios especializados em análises microbiológicas. Os resultados obtidos mostraram que mesmo após 70 ciclos de lavação o tecido tratado com as nanopartículas de prata foi capaz de eliminar fungos e bactérias com aprovação técnica sob as normas vigentes.

Já no setor de polímeros injetados com o aditivo na forma sólida, a atividade antimicrobiana de matrizes de EVA foi comprovada com eficiência acima de 98% em relação a amostras não-tratadas. O grande diferencial oferecido pela incorporação em componentes de calçados é o efeito long-lasting, o que garante por um longo período de tempo a inibição do crescimento de microrganismos sobre superfícies poliméricas, mesmo sob fricção causada pelo uso contínuo de uma palmilha ou forro sintético, por exemplo.

Adaptação ao processo produtivo do cliente

O know-how adquirido pela TNS, aliado à crescente demanda e expansão de mercado, tornou a incorporação dos aditivos antimicrobianos mais sólida e eficiente, independente do material de componente a ser aditivado. Ainda, a TNS preza a consistência no processo produtivo, a fim de evitar custos adicionais de processo devido a aditivação do material. O foco é manter o processo produtivo inalterado e unir as necessidades tanto da indústria quanto a dos consumidores, a fim de simultaneamente garantir competitividade para o setor e conforto ao usuário .

tns_banner_prata