Políticas de privacidade e de cookies

Blog

Controle da qualidade microbiológica em indústrias alimentícias

Devido ao natural desenvolvimento populacional, a demanda por alimentos vem aumentando significativamente no Brasil e no mundo.

Consequentemente, isso intensificou a produção de alimentos em geral, além da busca frequente dos consumidores por medidas que atendam à segurança alimentar e nutricional da sociedade. 

Para que esses objetivos fossem alcançados, as indústrias alimentícias tiveram que realizar diferentes melhorias em seus processos diários, levando em conta que os alimentos frequentemente envolvidos em surtos de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) são, em sua maioria, produtos de origem animal. 

A seguir, entenda a importância de possuir um conciso controle da qualidade microbiológica em indústrias alimentícias.

O perigo em evidência

Os patógenos podem contaminar as carcaças dos animais durante toda sua vida, e claro, durante seu abate ou através de contaminação cruzada por meio de equipamentos, manipuladores contaminados ou até mesmo no deslocamento dentro do ambiente. 

Leia mais: Uso de Nanotecnologia na Melhoria da Biosseguridade das Instalações de Produção Animal

A salmonelose, por exemplo, causada por bactérias do gênero Salmonella, é uma das principais zoonoses para a saúde pública em todo o mundo

Sua característica endêmica é representada pela alta morbidade e, sobretudo, pela dificuldade da adoção de medida no seu controle. 

Mundialmente, esse gênero representa cerca de 10-15% dos casos de gastroenterite aguda. As aves, ovos, carnes, derivados de carne, soja e chocolate, são as maiores fontes de disseminação desses surtos alimentares.

Controle da qualidade microbiológica

Por razões relacionadas a importância das medidas preventivas com intuito de evitar o risco de infecção da salmonelose na população humana, o controle desta doença vem sendo uma preocupação mundial e de grande interesse para a economia dos países em que ocorrem esses surtos. 

O Brasil, por ser um grande exportador mundial de proteína animal, deve sempre, estabelecer soluções e medidas cada vez mais rígidas de controle sanitário, para evitar prejuízos significativos devido às perdas indiretas. 

Leia mais: TNS é eleita a Startup número #1 no segmento Agro

Como a nanotecnologia pode colaborar na biosseguridade desse mercado?

Devido a essa crescente ênfase na segurança de produtos de origens animais, principalmente as carnes que chegam ao consumidor, tem-se despertado o interesse em soluções para reduzir ou eliminar as taxas de Salmonella sp. antes do abate, com a intenção de aumentar a segurança de múltiplos produtos alimentícios

A técnica de redução deste patógeno no período de pré-abate, no caso de produtos cárneos, pode ajudar a garantir a redução da contaminação que ocorre no processo de abate dos animais. 

Além da importância sanitária das granjas, as rações, os transportes, a espera do pré-abate e a investigação constante da microbiota nos alojamentos têm sido levantados como momentos críticos de contaminação por Salmonella sp

Esses patógenos localizam-se principalmente em alimentos que contém alta porcentagem de proteína e elevado teor de umidade. 

Um dos grandes desafios para detecção de Salmonella dá-se à sua presença no alimento que não é denunciada pelos parâmetros de alteração de cor, aparência ou aroma do mesmo, tendo como resultado uma ampla contaminação cruzada nas plantas industriais.

A nanotecnologia já vem sendo uma auxiliar importante no combate às dificuldades que esses sistemas industriais enfrentam diariamente. 

O uso de antimicrobianos TNS incorporados nas estruturas utilizadas nas instalações, vem sendo uma alternativa de combate diário da entrada de novos patógenos ou novas cepas nos sistemas de produção, e até mesmo para o controle mais aprofundado dos agentes presentes dentro do sistema, reduzindo a pressão de infecção.

Alguns exemplos de locais onde pode-se incorporar os antimicrobianos TNS:      

Além de a nanotecnologia ser um importante pilar para inibição ou controle da contaminação cruzada, existem outras importantes aplicações sobre a mesma. 

Destaca-se a tecnologia para rápida revelação de patógenos: o Revella®. Leia mais sobre o tema acessando o conteúdo: Revella®: Rápida detecção de Salmonella na cadeia de proteínas.

Controle da qualidade microbiológica

Leia mais: Tecnologia no agronegócio: A importância de impedir a proliferação de bactérias

Combate da Salmonella na proteína vegetal

Ultimamente, além da grande demanda por aditivos que combatem Salmonella em indústrias de proteína animal, muitos estudos estão sendo publicados em relação à Salmonella também em proteína vegetal. 

Devido ao constante crescimento pela demanda de alimentos, a proteína de soja, por exemplo, vem sendo um coringa para diferentes mercados e aplicações alimentícias.

Desta maneira, dado também aos desafios da salmonelose, a soja se torna um outro possível vetor de contaminação, principalmente quando não processado ou cumprido de acordo com os protocolos pré-estabelecidos.

Leia mais: Uso de tecnologias para o aumento de produtividade na agricultura

TNS e o compromisso com a segurança alimentar 

Seja qual for a amostra ou mercado, a indústria exige segurança para evitar a contaminação por bactérias. 

Ao permitir um screening rápido e simples das amostras microbiológicas recorrentes, a TNS possui soluções que colaboram na ampliação da segurança alimentar da população, permitindo mais agilidade e rapidez na detecção de patógenos, possibilitando: 

Ao aliar o bom manejo com as soluções TNS e as medidas preventivas já utilizadas, reduzimos o tempo de análises, assim como aumentamos o controle

Como consequência, reduzimos drasticamente os prejuízos econômicos causados pelo aumento dos custos devido à vulnerabilidade sanitária do setor. 

O uso da nanotecnologia TNS pode auxiliar na melhoria das condições sanitárias das indústrias, o que é fundamental para garantir a segurança alimentar e nutricional da população. Quer saber mais sobre as nossas inovações? Fale com nossos especialistas!