Políticas de privacidade e de cookies

Blog

Protec-20 garante eliminação de vírus em tecidos mesmo após 50 ciclos de lavagem

Com as drásticas mudanças que a pandemia trouxe a sociedade, a TNS agiu de forma rápida e eficiente para oferecer uma solução para passarmos por esse momento com maior segurança. Assim surgiu o Protec-20, aditivo antiviral para aplicação industrial da TNS. Dentro do segmento têxtil, o Protec-20 permitiu às indústrias se reinventarem rapidamente e entregarem para sociedade tecidos que eliminam os vírus dos artigos têxteis a partir de 1 minuto *.

 

Visto a sua alta eficiência na eliminação dos vírus, tecidos tratados com Protec-20 estão sendo destinados à diversos fins: máscaras, EPI’s, jalecos, roupas de cama, workwear, sportwear entre tantos outros, beneficiando assim pessoas de norte a sul do Brasil, além de outros países da América Latina, da Europa e até mesmo Ásia.

 

A tecnologia antiviral vem deixando de ser um diferencial e está se tornando uma funcionalidade essencial para os têxteis. Assim, muitas dúvidas em relação à durabilidade da ação antiviral surgem. Como grande diferencial de mercado, a TNS comprova a solidez em eliminação de 99% de vírus** mesmo após 50 ciclos de lavagem, de acordo com o procedimento da norma ISO 105-C06:2010*** com dosagens muito abaixo das encontradas no mercado. Confira com nosso time.

 

Esta alta solidez à lavagem comprova como o princípio ativo, a nanoprata com seu estabilizante natural, está fortemente ligado ao substrato têxtil, característica quase que exclusiva TNS, visto que os resultados foram obtidos sem a adição de fixadores. Ainda que comprovada essa ancoragem, muitos se preocupam em relação à possível inalação da nanoprata, ao usar, por exemplo, uma máscara com a proteção antiviral TNS.

 

Resultados publicados pela ECHA (Agência Europeia das Substâncias Químicas) relacionados ao estudo da toxicidade aguda por inalação, mostraram que nanopartículas de prata não requerem classificação para irritação respiratória. De acordo com os critérios especificados pela Diretiva 67/548/EEC e regulamentos subseqüentes, não exige classificação nem para toxicidade aguda por inalação nem para irritação respiratória. 

 

É com esta tecnologia de vanguarda, que a TNS vem contribuindo positivamente com este momento que o mundo vive. Os tecidos tratados com Protec-20 reduzem drasticamente a possibilidade de contaminações cruzadas e dessa forma desacelera-se o contágio de doenças. Trabalhando com seriedade e comprometimento, a TNS entrega às indústrias um produto de alta qualidade, garantindo maior proteção e segurança ao consumidor final.

 

* 99,9% do Coronavírus (Cepa MHV-3) foi inativado em 60 segundos. Este percentual de redução é em comparação com o controle viral, ou seja, o tecido não tratado. Os ensaios foram realizados em laboratório NB-2 (Biosafety Level 2) seguindo as Recomendações da ANVISA Art. 1 e Art. 3 da IN 04/13 e IN 12/16 e metodologias descritas nas normas (ISO 18184/ 2019-06-25: “Textiles — Determination of antiviral activity of textile products” e do Instituto Robert Koch – RKI) e obedecendo as Boas Práticas de Laboratório (BPL).
**Coronavírus canino de acordo com a ISO 18184:2019
***especifica a resistência de ancoragem do aditivo quando submetido a lavagens doméstica ou comercial usados para artigos domésticos usando um detergente de referência. Artigos de uso industrial e hospitalar podem ser submetidos a procedimentos de lavagens especiais que podem, em alguns aspectos, ser mais severos.